Como Investir Dinheiro
Home » Economia » Coronavoucher: Como receber o auxílio emergencial de R$600 do Governo Federal

Coronavoucher: Como receber o auxílio emergencial de R$600 do Governo Federal

8 de abril de 2020 - 11 views Coronavoucher: Como receber o auxílio emergencial de R$600 do Governo Federal

O Coronavoucher, como ficou conhecido o auxílio emergencial aprovado pelo congresso e liberado pelo governo, entrará em fase de liberação dos recursos.

O Coronavoucher foi criado para auxiliar e garantir condições mínimas de sobrevivência para a parcela da população mais afetada pelos efeitos do isolamento social, como os autônomos e os microempreendedores individuais – MEI.

Em meio a novidade, é muito comum que surjam diversas dúvidas a respeito do assunto. Para acabar de uma vez com as dúvidas relacionadas ao tema, o Como Investir Dinheiro resolveu preparar um verdadeiro guia, sobre o Coronavoucher. Neste artigo, você terá a oportunidade de retirar todas as suas dúvidas.

Quem tem direito ao Coronavoucher?

coronavoucher-tenho-direito-de-receber

O Coronavoucher é um auxílio temporário criado e custeado pelo Governo Federal, no total serão 3 parcelas mensais no valor de R$ 600,00.

Vejamos quais são os requisitos para solicitar e receber o benefício:

  • Ter mais de 18 anos;
  • Não possuir emprego formal;
  • Não receber outro benefício seja ele previdenciário ou assistencial, como seguro desemprego ou aposentadoria, com exceção do Bolsa Família, ocasião em que o beneficiário poderá escolher pelo maior benefício, realizando assim o seu cadastramento;
  • Ser de família com renda mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135)
  • Não ter recebido no ano de 2018, rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 28.559,70.

Além dos requisitos acima descritos, é necessário que o candidato ao benefício, esteja enquadrado em uma das seguintes condições:

  • Ser MEI – Microempreendedor Individual;
  • Ser contribuinte autônomo da Previdência Social;
  • Ser trabalhador informal autônomo inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico, até o dia 20 de março de 2020.
  • Ou ainda, aqueles que se encaixam nos critérios de renda familiar, detalhados acima, ocasião em que deverão fazer uma autodeclaração no site ou aplicativo disponibilizado pelo Governo Federal.

Dentre as profissões mais beneficiadas pelo coronavoucher podemos citar:

  • Agricultores familiares;
  • Caminhoneiros autônomos; 
  • Catadores de materiais recicláveis;
  • Diaristas;
  • Feirantes e vendedores ambulantes e camelôs;
  • Guias e agentes de turismo autônomo;
  • Manicures e pedicures;
  • Motoristas e entregadores de aplicativo, como Uber, Cabify e 99.
  • Motoristas de táxi e mototaxistas;
  • Motoristas de transporte escolar;
  • Pescadores;
  • Pedreiros autônomos;
  • Entre outros.

Quanto posso receber com o Coronavoucher?

A princípio o valor estipulado pelo governo para pagamento do auxílio emergencial é de R$ 600,00, entretanto este valor pode ser maior. Isso porque a medida anunciada pelo governo inclui o pagamento do benefício para até duas pessoas do mesmo grupo familiar. Sendo assim, é possível alcançar o valor mensal de R$ 1.200,00

O governo garantiu também, o pagamento de R$ 1.200,00 para mulheres que desempenham a função de “chefe de família” ou seja provedoras do lar.

Qual será o calendário de pagamento do benefício

calendário-de-pagamento-auxilio-emergencial

Se você tem direito ao recebimento do coronavoucher, não deixe de verificar as datas de pagamento, informadas conjuntamente pelo Governo Federal e pela Caixa Econômica.

Primeira parcela

A primeira parcela do coronavoucher será paga de acordo com as seguintes datas:

  • 09/04/2020 – Para pessoas que já estão cadastradas no Cadúnico, que não recebem Bolsa Família e possuem conta no Banco do Brasil ou então conta poupança na Caixa Econômica;
  • 14/04/2020 – Para pessoas que estão no Cadúnico que não recebem Bolsa Família e não possuem conta no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica;
  • Para trabalhadores informais não cadastrados no Cadúnico, no prazo de 5 cinco dias úteis após o cadastramento no programa de auxílio emergencial;
  • Já os beneficiários do Bolsa Família, recebem nos últimos 10 dias do mês de abril, de acordo com o calendário do respectivo programa social.

Segunda parcela

A segunda parcela deverá ser paga em dois grupos:

  • De 27 a 30 de abril para os não beneficiários do Bolsa Família;
  • Nos últimos 10 dias do mês de maio para os beneficiários do Bolsa Família;

Terceira parcela

A terceira parcela será paga nas seguintes datas:

  • De 26 a 29 de maio para os não beneficiários do Bolsa Família;
  • Nos últimos 10 dias do mês de junho para os beneficiários do Bolsa Família;

Como realizar a inscrição para receber o Coronavoucher?

cadastro-coronavoucher-auxilio-emergencial-de-600-reais

De acordo com as informações divulgadas pela Caixa Econômica Federal, para receber o benefício será necessário que aquelas pessoas que preenchem os requisitos efetivem seu cadastramento por um dos seguintes meios:

  • Através do site da Caixa, clicando aqui;
  • Por meio de aplicativo para celulares e smartphones

Para dispositivos Android, clique aqui

Para dispositivos iOS, (Apple) clique aqui

Vale destacar, que a Caixa também disponibilizou o número 111 para que os cidadãos possam retirar suas dúvidas sobre o benefício emergencial. No entanto, não será possível realizar a inscrição no programa através desta central de atendimento.

Vejamos como o cidadão deve proceder para requerer o seu coronavoucher:

1ª Etapa: Preenchimento de um cadastro simplificado que exige dados como: Nome Completo, CPF, Data de Nascimento. Nome da Mãe e Número do Celular.

O número do celular é necessário, pois será enviado por SMS (Mensagem de Texto) um código de verificação e confirmação da inscrição no programa de auxílio emergencial, coronavoucher.

2ª Etapa: Após informar os seus dados cadastrais, o trabalhador requisitante do coronavoucher, deverá declarar ainda a sua renda e o ramo de atividade em que atua, dentre as opções temos os seguintes grupos: Agricultura e Pecuária, Extrativismo e Pesca, Prestação de Serviços, Comércio, Produção de Mercadorias; Trabalho Doméstico e Outros.

Logo após, será solicitado também a cidade e o estado do solicitante do benefício.

3ª Etapa: Nesta etapa, será necessário informar alguns dados dos demais integrantes da família, que residem na mesma casa.

4ª Etapa: Após o preenchimento de todos os dados cadastrais solicitados. Será necessário optar pelo recebimento em uma conta bancária já existente e de titularidade do beneficiário, na Caixa Econômica ou no Banco do Brasil ou então pela criação de uma conta digital na Caixa para recebimento do coronavoucher.

Por fim, o trabalhador deverá informar o seu RG, conferir os dados cadastrados e confirmar a operação.

O procedimento a ser seguido para inscrição e recebimento do coronavoucher é o mesmo, tanto pela internet como pelos aplicativos disponibilizados.

Tenho dívida no banco, o Coronavoucher será utilizado para quitação?

coronavoucher-tenho-direito-de-receber

Essa dúvida surgiu, após o aplicativo apresentar a seguinte informação, no momento em que o usuário informava a conta bancária para depósito: “Caso exista saldo negativo ou débito programado nesta conta. O lançamento do auxílio pode ser utilizado para quitação.

No entanto, o vice-presidente de varejo da Caixa Econômica, Paulo Henrique Ângelo, informou que a mensagem será removida em atualização do aplicativo, prevista para ocorrer nesta noite.

Segundo Paulo Henrique Angelo, a mensagem foi colocada no aplicativo para ser um alerta, no entanto foi fechado um acordo com todos os bancos do Brasil para que o auxílio emergencial não seja automaticamente descontado para o pagamento de débitos, como por exemplo o cheque especial.

A ideia do coronavoucher é justamente a de não deixar faltar alimento e outros insumos básicos para os brasileiros em situação de vulnerabilidade neste momento e por esse motivo, o valor não poderá ser utilizado para o abatimento ou pagamento de débitos.

A informação foi também confirmada pelo ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni, que garantiu que os créditos do coronavoucher não seriam utilizados para a quitação de dívidas com as instituições financeiras.

“Esse recurso, quando for transferido do banco oficial para qualquer outro banco do sistema privado brasileiro, se existirem débitos anteriores na conta, esse dinheiro fica protegido, não paga contas antigas”, disse.

Conta Digital Grátis da Caixa Econômica

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, ressaltou que a instituição financeira não cobrará tarifas pelas contas digitais abertas pelos trabalhadores que solicitaram o recebimento do benefício.

Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, será permitida a abertura de contas digitais totalmente gratuitas para os trabalhadores beneficiados que não possuem conta bancária. A estimativa do banco é de que sejam criadas mais de 30 milhões de contas digitais gratuitas.

Vale destacar, que as contas permitirão ainda, o pagamento de contas e a realização de transferências gratuitas. Aqueles que já possuem conta em outro banco, estão dispensados de abrir a conta digital.

De acordo com ele, a conta digital vai ainda permitir que os beneficiários façam pagamentos de contas de consumo e também transferências gratuitamente.

Quem já tiver conta em outro banco, poderá receber o auxílio por meio dessa conta e não precisa fazer a conta digital da Caixa.

Conclusão

De acordo com o Ministro da Economia, Paulo Guedes o coronavoucher deverá beneficiar cerca de 54 milhões de pessoas a um custo total de R$ 98 bilhões para os cofres públicos.

Esperamos que com este artigo, tenhamos retirado todas as suas dúvidas sobre o coronavoucher e auxiliado você que possui direito ao benefício a realizar sua própria solicitação.

Faça com que estas informações importantes e de utilidade pública chegue a outros brasileiros que precisam retirar suas dúvidas! Você pode nos ajudar, compartilhando a página e a recomendando o Como Investir Dinheiro para seus familiares e amigos!

Leia também: Onde investir na crise? O que fazer com seus investimentos?

Relacionados

Deixe seu comentário

© 2022 - Como Investir Dinheiro